skip to Main Content
Menu

ASPR Em Dia nº 6 – abril/2014 – A ATIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS REQUER DO LÍDER TODA ATENÇÃO

O texto que segue, tem como objetivo resumir os principais desafios e competências necessárias aos gestores de pessoas, para o exercício da liderança, em qualquer entidade, em tempo de inúmeras mudanças e muito velozes.

Resumimos liderança como sendo a capacidade de influenciar pessoas para atingir determinado objetivo.

Sabemos que no dia a dia, líderes e liderados precisam tomar muitas decisões sobre tudo, através das suas ações e exemplos. Direta ou indiretamente e de maneira natural, influenciamos e somos influenciados o tempo todo.

O gestor de pessoas tem o papel, a atribuição de influenciar, pois o resultado da sua área de atribuição e da empresa como um todo, originam do seu trabalho e de sua equipe. Para isso precisa das competências, que possibilitem alcançar os objetivos traçados.

Ram Charan, autor do livro Know-How – As oito competências que separam os que fazem dos que não fazem, atribui aos líderes realizadores os que detêm know – how e com isso podem gerar resultados através da utilização dinâmica de suas competências.

Sabemos que a relação, empregador e empregado mudou e muito. Não é a toa que a denominação, departamento de pessoal e de recursos humanos deixou de existir, dando lugar aos conceitos, gestão de pessoas e capital intelectual. Hoje o profissional, mesmo sendo celetista, necessita ser tão empreendedor quanto aos profissionais liberais e autônomos e mesmo quanto ao sócio de empresa.

Cecília Whitaker Bergamini, autora do livro, O Líder Eficaz, reedição 2009, páginas 121 e 122, diz que a influência do líder pode ser percebida através de diferentes formas de poder, que resumidamente são:

Poder coercitivo: pode levar o liderado a submeter-se à coerção para evitar punições;
Poder de recompensa: quando ocorre a recompensa pelo líder ao liderado;
Poder legítimo: é delegado ao líder. O liderado submete-se a influência do líder;
Poder do especialista: o líder possui conhecimento técnico superior e a exerce;
Poder de referência: o liderado se identifica com o líder. O líder é o exemplo.

Recomendo a leitura do livro beneficente, O Verdadeiro Poder, do reconhecido professor Vicente Falconi, edição 2009, que será, sem a menor dúvida, um grande best seller.

O líder deve ser reconhecido como capaz de lidar com as demandas do seu cargo, cuidando dos aspectos técnicos, estratégicos, de relacionamento com a equipe, com o mercado e com as áreas e departamentos da empresa; o que convenhamos, realmente não é pouco.

Para exercer influência através dos referidos poderes, o líder de sucesso precisa desenvolver as oito competências descritas por Ram Charan, no referido livro, as quais transcrevo:

1 – Posicionar e reposicionar: encontrar uma idéia central para os negócios que atenda às necessidades do cliente e que seja lucrativa.

2 – Identificar mudanças externas: detectar tendências em um mundo complexo, para colocar a empresa na ofensiva.

3 – Comandar o sistema social: reunir as pessoas certas com comportamentos e informações corretos, para tomar decisões melhores e mais rápidas e alcançar bons resultados.

4 – Avaliar pessoas: aferir pessoas com base em suas ações, decisões e comportamentos, comparando-os com os critérios inegociáveis da função.

5 – Moldar equipes: conseguir que líderes altamente competentes e de ego enorme trabalhem em perfeita harmonia.

6 – Estabelecer objetivos: determinar o conjunto de metas que equilibram o que a empresa pode vir a ser com o que ela pode alcançar de modo realista.

7 – Estabelecer prioridades precisas: definir o caminho e alinhar recursos, ações e energia para realizar os objetivos.

8 – Enfrentar forças que transcendem o mercado: prever e reagir às pressões sociais fora de seu controle, mas que podem afetar a empresa.

Estas oito competências podem ser resumidas em três grupos que exigem muita atenção dos gestores de pessoas, são eles:

a) Relacionamento interpessoal: Boa comunicação pessoal. Administrar pessoas diferentes, com necessidades e demandas diferentes;

b) Conhecimento do negócio e conceitual: Conhecer bem os clientes, competidores, o mercado em que atua, dominando gestão, planejamento estratégico, estabelecimento de prioridade etc;

c) Tecnologia de gestão de pessoas: O treinamento, feedback, motivação, clima organizacional etc, formam a referida tecnologia.

Qual é a principal atribuição de um gestor de pessoas? Resposta dos especialistas: Cobrar.

Mas cobrar o que? Quando? Como? Estas são as questões.

As respostas estão em tudo aquilo que foi acordado entre a empresa, o profissional líder e o profissional. Portanto é desnecessário dizer da importância do contrato, analítico, entre as referidas partes.

Para exercer a referida atribuição, o que deve fazer o gestor de pessoas?

Contratar: selecionar com o perfil adequado e potencial de crescimento;
Formar: treinar e desafiar o profissional, dando-lhe efetiva atenção;
Acompanhar: dar feedback formal e informal, seguindo a política da empresa;
Reconhecer: promover, valendo-se do plano de cargos e salários;
Reter os talentos: investir os recursos possíveis para a manutenção dos talentos;
Interagir e motivar: trabalhar pelo melhor clima organizacional.

Conclusão

Gerenciar é manter o foco nos profissionais e nos resultados, da maneira mais adequada. Fácil de entender a primeira parte da conclusão, pouco mais difícil é o que vem a ser da maneira mais adequada. A resposta está naquilo que consta do contrato entre a entidade e os seus profissionais.

Ary Silveira Bueno, contador, diretor da ASPR, professor da Fundação Santo André.Janeiro/2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top